Tem mim sem ti? E sem Tu? Há dias pensando sempre no que bem disse o Filósofo:

O conhecimento foi sempre interpretado como assimilação. Mesmo as descobertas
mais surpreendentes acabam por ser absorvidas, compreendidas, com o que há de
`prender‟ no `compreender‟. O conhecimento mais audacioso e distante não nos põe
em comunhão com o verdadeiramente outro, (…), é ainda e sempre solidão.
[Emmanuel Levinas. Ética e Infinito, p. 52-53]

Desplugando das autoafirmações! Por uma vida total coadjuvantada! Realizado, por participar de uma história, na qual devo depender daquele que protagoniza… É assim que me vejo! Não mais sem você… Rumo ao (e)terno…

alter-ego