Numa sexta-feira, meados de 33 d.C, na cidade de Jerusalém, Jesus de Nazaré, um rabino e profeta da Galiléia, caminhava com sua comunidade alternativa, composta por 12 homens e algumas mulheres. Ele foi preso e condenado. Depois de humilhado e torturado, teve o corpo dilacerado e morreu pregado numa cruz.

Morte maldita essa de Jesus! Morte de cruz! Segundo os próprios romanos, esse sofrimento era “um suplício muito cruel e horrível” (Cícero); ou, conforme os judeus, o sabor do veneno dos blasfemadores, pois, a Torá diz que é “Maldito aquele que pende no madeiro” (Deuteronômio 21,23).

Morre nu o indigente nazareno! Nem a terra nem o céu querem o seu corpo. Excomungado pelo clero do poder religioso. Alvo da invisibilidade da potência do Estado. Assim ele é: excomungado, injustiçado e maldito! Além de pobre e sem formosura (Isaías 53)… A antítese de todo status quo.

A cruz sinaliza a morte que envolve infâmia. Jesus é mais um entre os malfeitores! (Lucas 22.37).

Então, este que andava com pobres, doentes e pecadores é humilhado. Na verdade, aceitou ser humilhado. E obedece até a sua morte, a saber, a morte maldita de cruz! (Filipenses 2.8).

Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores (Romanos 5.8).

Cristo morreu pelos nossos pecados (I Coríntios 15.3).

…se entregou a si mesmo pelos nossos pecados (Gálatas 1.4).

Nele temos a redenção por meio do seu sangue, o perdão dos pecados (Efésios 1.7).

Visto que temos plena confiança para entrar no Santo dos Santos pelo sangue de Jesus… aproximemo-nos de Deus (Hebreus 10.19-22).

Cristo sofreu pelos pecados uma vez por todas, o justo pelos injustos, para conduzir-nos a Deus (I Pedro 3.18).

Deus… nos amou e enviou o seu Filho como propiciação por nossos pecados (I João 4.10).

Tu és digno… 
Pois foste morto,
e com teu sangue compraste para Deus homens (Apocalipse 5.9).

A cruz não prevaleceu sobre o crucificado! Na verdade, ela tornou grande aquele que nela está pendurado! Jesus dá sentido à cruz! Resgata os que sofrem, os que são humilhados, os que são amaldiçoados. Está ao lado deles! Eis o mistério, o enigma do mundo injusto: o justo Jesus foi rejeitado, perseguido e condenado. O Cristo foi levantado, ressuscitado e escalado para a consumação de tudo o que há. A vida, o cosmos… (Efésios 1.3-23).

Era um tratado! Intra-trinitário! E tudo ocorreu conforme o combinado!

Ler a paixão de Cristo, a morte de Jesus, inclina-nos a meditar sobre um acontecimento histórico que declara a glória de Jesus. O homem-Deus deu a vida pela humanidade. Amou tanto todas as pessoas a ponto de morrer por elas. Por todas as pessoas Deus morreu!

Cabe no Deus todo poderoso atributos de infinita misericórdia e amor incondicional!

Assim, cremos que Jesus é Deus! E essa é a mensagem da “boa nova”, que costumamos chamar de Evangelho.

E na Sexta-feira Santa, os cristãos se encontram. Eles só são chamados assim, porque Jesus foi crucificado. O cordeiro santo foi imolado! (Êxodo 12.1-8; João 13.1-15; Hebreus 4.14-16). Nós sustentamos o escandaloso episódio da cruz! Lembramos e vivemos (d)isso!

É a partir deste acontecimento real que a vida tem sentido verdadeiro para nós cristãos!

Vale a pena desfrutar da dádiva da vida…

Nele!

el descendimiento