Descobrimos quem é o inimigo: nós mesmos.

[Pogo]

Imagem

…Sendo eu mau, desinteressadamente, e não havendo outro motivo para a minha maldade senão a própria maldade. Era asquerosa, e amei-a. Amei de toda a minha morte. Amei, não aquilo a que era arrastado, senão a mesma queda (…) (Aptecia-me) não uma parcela da desvergonha, mas a própria desvergonha.

[Santo Agostinho]

“Nós tentamos – e com o melhor sistema de regras do mundo! Sabendo que ninguém pode agradar a Deus por esforço próprio, cremos no messias para sermos justificados por Deus. Isso nunca acontecerá se praticarmos o bem.

Explico o que aconteceu comigo: tentei guardar regras e me esforçar para agradar a Deus, mas isso não funcionou. Então, desisti  de ser um “homem da lei” para me tornar um “homem de Deus”. A vida de Cristo me mostrou como fazer isso e me deu capacidade de viver assim. Eu me identifico totalmente com ele. De fato, fui crucificado com Cristo. Meu ego não ocupa mais o primeiro lugar. Pouco me importa parecer justo ou ter um bom conceito entre vocês: não estou mais tentando impressionar Deus. Agora Cristo vive em mim. A vida que vivo não é “minha”, mas é vivida pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim. E eu não volto mais atrás.

[Paulo, um apóstolo de verdade, falando em nome da Verdade, na carta aos Gálatas, cap. 5.16-21 – A Mensagem]