Sentimentalidade atinge temperatura glacial em tempos de aquecimento global.

Hegemônico não é o grande capital, mas o mal.

Ausência do bem, como afirmou Agostinho.

Gerador de infelicidades, causador de calamidades, dana, inflama, corroí, rouba, sequestra, furta, trafica, destrói, trai, ofende, fere, magoa, à toa, mata numa boa…

Opõe-se ao bem, dotado de inconveniências e intenções más, desdobramento da desobediência que desencadeou a imperfeição. Maldito é o fruto! Podre lesão que aflige de maneira rude, empobrece conduzindo à miséria. Definha, esgota, sufoca…

Desgraça noviça que prejudica de maneira funesta a vida.

Puro veneno cruel de dose letal é esse mal. Se acha o tal, mas chegará o dia… Imagem

 De joelhos, sigo com fé para um dia, aplaudir de pé a queda da Grande Babilônia…

Maranatha – “Vem Senhor!”

[Meditações em Apocalipse 18 ao som de Creed – Say I]