O Ágape me afeta!

Torno-me constrangido pelos desdobramentos causados.
Em toda a ocasião, percebo que a situação inclina-me a reconhecer que erro…

Quantas vezes minha certeza foi refutada? As convicções, desmontadas…

Em tantos episódios, minhas supostas verdades vêm à tona e, logo, viram descaradas mentiras.

Lá no fundo, eu me achava. E, que dureza, descobrir que, estava de fato, perdido.

O venenoso efeito de confundir quem conhece com quem sabe…
Pior é achar que sabe apenas porque conhece…

Toneladas de engano compunham o fardo dos meus planos. Justamente pela mediocridade de considerar-me protagonista. Dependendo de como se pensa, é penoso entender, mas:

Como posso querer tudo, se pra começo de conversa, nem sequer pertenço a mim mesmo?  

Cativo de um comodismo medonho: dá preguiça de pensar e fico demasiadamente cansado para agir.


Almejo… Luto… Garimpo… Formulo teses para defender minhas néscias buscas. Findadas numa incerta expectativa, prefiro iludir-me.

Doses de autoalienação sustentam as desprezíveis especulações desnecessárias. Como num caleidoscópio, estabeleço uma meta, e então, para cada área da vida, tenho o tom da infeliz partitura deste horizonte acinzentado, onde:

ou se escolhe viver apenas o hoje; 
ou se vive com a mente escravizada pelo ontem; 
ou com os pensamentos enganosamente ancorados no oceano do amanhã.

Este é o compasso que orquestra cada ser que caminha passo a passo sobre sua própria conta e risco.

De repente, o Ágape me afeta. Não preciso mais fingir que sou forte. Agora, posso apresentar meus coletivos de fraquezas.Resgatado das profundezas corruptíveis para os desafios subversivos. Rumo à grandeza diária de ser pequeno, como uma formiga, tão insignificante, esteticamente falando, tão invisível e desacreditada… No entanto, exalam de sobra sólidas virtudes, pelo modo precioso que coletivamente convivem.

Se a substância nuclear mais potente do mal é o orgulho, o antídoto, a potência máxima que testifica a existência do bem e revoluciona a condição humana, é o amor.

O orgulho só pode ser vencido pelo amor. Sobretudo, meu orgulho é vencido pelo Teu amor. Nisto, torno-me constrangido por estes tais desdobramentos causados:

Durante as rotas que percorri, até aqui, tive os pés machucados, o entusiasmo roubado, o sentido sequestrado e os desejos violentados. Ao ser por Ti acolhido, sinto-me absolutamente restaurado. Revitalizado e preparado para converter a trajetória. Neste novo percurso, moram a leveza, a calma na alma e a beleza. Há paz! És o Caminho…

Não faço questão de defender minhas verdades, quando és a Verdade. Na real, era um apologista não somente das minhas próprias sofismas, como das alheias também.

Agora firmo e afirmo-me neste solo frutífero da raiz que assegura certeza e esperança. Chove lágrimas por descobrir que este amor que atinge minha essência é revelado e propõe transformação contínua em minha existência. Carrego mais que uma práxis contagiante, mas conjugo um Verbo no infinitivo e verbalizo gerúndios sem ser redundante.

O sentido – que me deixa constrangido e arrependido.

O sentido – que nutre a fé de razão e clareia o significado…

O sentido – que estremece os sentidos e me deixa rendido.

Por aqui meu repertório termina… Agora, começa a melhor parte…

“O Senhor é quem sustenta minha vida” – Salmo 54.4

Imagem
O Ágape é altamente inflamável!