“Não vivemos num mundo em que todas as estradas são raios de um círculo e, se seguidas por uma longa distância, se aproximarão gradativamente para se encontrarem no centro. Na verdade, vivemos num mundo em que toda estrada se bifurca em duas, para em seguida bifurcar-se daí a mais alguns passos (e cada uma delas, por sua vez, se bifurca em duas novamente). E cada encruzilhada exige que você tome uma nova decisão. Mesmo no nível biológico, a vida não é como um rio, mas se assemelha muito a uma árvore. A vida não se move em direção à unidade e, sim, para longe dela. E, à medida em que crescem em perfeição, as criaturas vão se afastando cada vez mais umas das outras. O bem, conforme amadurece, vai se tornando cada vez mais distinto não apenas do mal, mas também de outro bem”.

[CS Lewis, em O Grande Abismo].

Só há uma forma de reconhecer o percurso da vida, caminhando paralelo na trilha do Semelhante.

“Toda a lei se resume num só mandamento: Ame o seu próximo como a si mesmo”. (Gálatas 5:1)

Do contrário, até caminhamos, mas como zumbis. Seja no presente, passado ou futuro…