A sinceridade do coração é capaz de provocar explosões inimagináveis!

Qualquer estouro incomoda as proximidades. Não seria diferente…

“Parece que pareço incomodar”.

Efeito borboleta, ampulheta ou ioiô?

Seja deles qual for…

 

Grato estou!

E sempre estarei…

A vida é única e optei fazer dela lúdica!

Hoje disse que não é tempo da poesia…

 

Caros, eu não caí. Senhor, eis me aqui…

Acontece que a caminhada figurada é inata!

Independe de sensações, optei pela simplicidade de admitir as fraquezas…

Há semblantes acinzentados, e mesmo com roupas coloridas,

Têm suas doses de (in)certezas…

 

Ora, se vejo mortos que vivem,

Por que não haveria os “felizes tristes”?

 

“Não quero faca, nem queijo. Quero a fome”. – Diria uma das minhas poetizas favoritas.

 

Desse modo, dedico aos poucos de tamanha preciosidade:

Não há preço que pague aquilo que tanto valem…

Pode algo implodir duma velha-nova amizade?

 

TombosTropeçosDesequilíbrios

Quem anda de skate sabe bem o que é isso!

 

A serpente tentara me convencer com sua sofisma:

Desista! Descreia! Despreze! Deseje…

Respondi: Sigo aquele que tudo passou…

Sentiu! Sofreu!  Suportou! E venceu!

Conheço quem me consola…

 

Melhor os passos lentos, na trilha estreita, de fardo leve;

Do que aceitar seus manjares, seu guizo e seu barulho.

Afinal de contas, o maior motivo da Queda, foi o orgulho[i]!

 

Que o momento implosivo provoque mudanças internas, para que quando explodirem, contagiem as dimensões externas.

Aviso: O presente é como um campo minado, lotado de dinamites e contém uma bomba relógio. Certifique-se do que almeja… Antes que seja… Booooooooooooooooooooom!!!


[i] “Primeiro vem o orgulho; depois, a queda quanto maior é o ego, maior é o tombo”.
(Provérbios 16.18 – A Mensagem)