Na sexta-feira passada, quando ainda fazia Sol na cidade, saí do metrô um tanto atrasado rumo ao ponto de ônibus. Geralmente no cotidiano da semana, se meu olhar mira para o céu é apenas pra tentar descobrir se vai chover ou meu foco é para os letreiros das lotações (pra ver qual delas vai até o Corpo de Bombeiros).

Naquele dia, a manhã estava realmente linda. Embora estivesse bem adormecida, minha sensibilidade seria incendiada logo após passar do Corpo de Bombeiros. Como diria uma amiga carioca, “após saltar no próximo ponto”…

Descia do ônibus acompanhado por uma boa trilha sonora. Rolava a música Rookmaaker do Palavrantiga (umas das bandas nacionais que mais ouço no momento), e estava tocando exatamente na seguinte frase:

“A cidade está cheia de tinta. Na cidade dos homens, tem gente que consegue ver, mas os outros estão cegos pra Ti”

Já na calçada, veio na minha direção um homem com uma farda azul marinho e logotipo vermelho, que carregava uma cesta colorida, onde o que mais me chamou a atenção foi o seu semblante: os poucos segundos de observação, tornar-me-iam estátua de sal, cada vez que tentava girar o pescoço para trás…

O trabalhador levantava a cesta e sorria pensando sobre cada imagem que parecia identificar naquela caixa. Era uma cesta de Natal! Pelo tamanho, demonstrava ter muitos itens. Pela expressão daquele homem, ficou claro que lembrara sua família com aquele sorriso apontado para o alto. Tive a impressão que estava agradecendo por aquele dia concluído…

Concluído porque seu turno era noturno. Suas olheiras não me deixariam errar. Acerca daquele sorriso, arrisco que estava pensando em seus filhos, pois tinha imagens de chocolate na caixa. Agora, quando ele olhou para o céu e sorriu…

Atravessei correndo a rua pra que minhas lágrimas não ficassem salientes. Tenho certeza de quem o homem agradecia enquanto esperava o ônibus no término de mais um dia… Pois bem, o meu estava apenas começando…

“A cidade está cheia de atores, na cidade dos homens tem gente que consegue dizer, mas os outros estão mudos pra Ti”.