O Brasil possui uma das mais elevadas taxas de concentração de renda, riqueza e propriedade do mundo.
O enfrentamento e a ruptura com a desigualdade estrutural,
reiterada e banalizada, só e possível com a superação da condição que produz essa desigualdade: a apropriação privada da riqueza socialmente produzida.
Defendemos a universalização dos direitos como mediação na luta pela socialização da riqueza e superação da desigualdade.
(…) Nós, assistentes sociais, (…) lutamos cotidianamente pela garantia e ampliação de direitos, trabalho e radicalização da democracia. E trabalhamos em espaços sócio-ocupacionais com a perspectiva de viabilizar a univerzalição do acesso às políticas sociais(…)

CFESS Manifesta 2009