post_cabeca

Impossível não ter escutado, assistido, ou mesmo ‘opinado’ sobre o caso da estudante Geisy, nestes últimos 15 dias;  transferida de vítima à ré em apenas algumas reportagens, o assunto tem alimentado os veículos de comunicação pela tamanha polêmica causada e sobretudo, injustiça!
Por parte dos estudantes, uma atitude extremamente arcaica e machista, advinda tanto de mulheres quanto de homens. De acordo com a publicação da UNE (União Nacional dos Estudantes) que  assimilou uma ação destas, como “do tempo das cavernas”. Infelizmente acentuo que o conservadorismo na juventude contemporanea é mais presente do que se imaginava. E a trilha para emancipação distancia-se, quando identificamos fenômenos tão presentes como este.

Pior que isso foi o cenário do ocorrido. Ora, vale lembrar que o acontecido se passa dentro de uma “Universidade”.  Lugar  este, onde se adquire o conhecimento, na qual se estima uma expectativa de melhoria de vida e contribuição de valores que serão transmitidos e complartilhados no curso da humanidade.

Ou para alguns (espero): “A facul é mesmo apenas um lugar de diversão e entretenimento?!