Teologia da ProsperidadeEnquanto isso…

A Revista Superinteressante deste mês (maio), entrevistou o (não sei se Pastor, Reverendo, Apóstolo, Bispo dentre outros) Líder da Redeemed Christian church of God, que traduzida para o português, Igreja de Deus dos Cristãos Redimidos; onde o Ex-matemático Enoch Adejare Adeboye, tem liderado um movimento que cresce constantemente na Nigéria – seu país de origem, e também da igreja.

Suas Mensagens, orientadas (ou desnorteadas?) com ênfase na TEOLOGIA DA PROSPERIDADE, seguem surrealmente o mito de que o deus-produto oferece tudo aquilo em que pedimos com fé, desde que ofereçamos o nosso “$acrifício à Deus” – (neste caso o monetário) e blá blá blá…

O mais “interessante” (ou assustador) é que tal igreja tem crescido em países como E.U.A e Canadá, e como assuntos do Neo-Calvinismo são recentes por lá, até me atreveria a alterar a obra de Max Webber de “A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo” para a Ética Capitalista e o Espírito do Protestantismo.

A “Boa Nova” é que alguns cultos já são realizados no Brasil. Há filiais em Brasília e Minas Gerais…

(E como o PIB de São Paulo, é o mais “Próspero do País”, não duvido que em breve, abram uma filial por aqui…)

Como ferramenta de “Evangelização (digo eu, de Marketing), a Igreja de Deus dos Cristãos Redimidos, também utiliza, meios de comunicação, como programas de Televisão e Rádio para “propagarem seu legado”…

$e não ba$tasse lutar contra os impérios de igrejas Neo Pentecostais  já existentes no Brasil, onde, honestamente, não sei se liberta ou aliena  a maioria de seus fiéis…

Nestes tempos de crise – econômica, social, moral, ética e espiritual, ouvir mensagens absurdas enfatizando riqueza e prosperidade, vindas de um  país, cujo o seu continente (ÁFRICA), tem apresentado tamanha situação de exclusão e vulnerabilidade social cada vez mais próximo da bárbarie, onde diariamente, torna-se notável e explícito, que  para o acúmulo de capital de alguns poucos empresários, a consequência da exclusão de muitos trabalhadores ocorre/ocorrerá…

Enquanto isso:
Se há o compromisso de cristãos católicos, em defenderem e lutarem em favor dos direitos do trabalhador, a ética protestante precisa aprender, contextualizar e “reformar” conceitos sobre a causa operária.
E como isso me incomoda desde, os 16 anos de idade, porque não atribuir ao 1° de maio, o Dia Mundial da luta contra a TEOLOGIA da PROSPERIDADE?

“Trabalhadores do mundo, Uni-vos”!
“CRISTÃOS do mundo, Uni-vos”!  (Ler Tiago 5.1-6)